Arquivo da tag: mentalist

Tempo: a nova moeda de troca

Com a internet, P2P, torrentz, DC++, … cada internauta tem a sua disposição, quase em tempo real, as melhores produções de TV do mundo, o melhor do cinema, quadrinhos, música. Ou seja, ele possui uma quantidade de possibilidade muito maior do que tempo para consumir tudo que quer.

O novo consumidor cultural é obrigado a escolher  o que quer assitir e sua principal moeda é o seu tempo.O mesmo tempo que ele tem para trabalhar, dormir, fazer exercícios, namorar,… portanto cada minuto na frente da TV tem que ser muito bem gasto, temque ter um alto retorno emocional.  Esse caso se agrava com as séries de TV, pois se umn filme for ruim, o espectador só investiu 2 horas de sua vida, mas se a série for ruim, o espectador terá investido 1 hora por semana nela. É muito mais tempo. Seriados tem que entregar cada vez mais para o espectador não se sinta  desrespeitado pel otempo que gadtou assistindo.

Já comentei aqui que  o motivo pelo qual Dollhouse foi cancelada é que eles apresentaram um 13º episódio alucinante e na segunda temporada voltaram pruma história sopinha de bebê. Fringe é outra série que está fazendo o mesmo e sua audiêcnia está despencando. Fringe apresenta universos paralelos, guerra dimensional e na temporada seguinte segue nos casos da semana contra o garoto -topeira, o garoto-mental, o observador que se apaixona, etc… Assim não dá, tem que avançar na história e não ter medo de tomar decisões ousadas.

The Mentalist consegue fazer isso. Cria-se um time inteiro de personagens no CBI apenas para poder usá-los de maneira dramatica para avançar a história. Quem assistiu o destino do time do Bosco, sabe do que eu estou falando. Excelente.

Por esse motivo é que tenho preferido  cada vez mais assistir séries inglesas. Elas são menores em tamanho, portanto não precisam de episódios tapa-buraco com tramas garoto-topeira.  Fora isso, como não possuem grandes orçamento, suas tramas tem que estar muito melhor calcadas no roteiro. Life on Mars, Ashes to Ashes, Being Human, Doctor Who, Torchwood, The Office, Skins, Primeval, Jeckyll, Mifits e Paradox  São todos exemplos de séries recentes inglesas com uma qualidade média de roteiros muito maior do que as séries americanas. Dê uma chance as séries inglesas, você vai perceber que não é perda de tempo.

Amigo do Roteirista

Num jogo de RPG de Comédia que eu gostava chamado “Mulheres Machonas Armadas até os Dentes” ou “Macho Women with Guns”, jogo esse que simulava de forma humorística todos os filmes da decada de 80 onde a heroina da hitória descia o pau em todo mundo. Ripley, Sonja, Sarah Connors, etc…  Havia uma vantagem especial que o persoangem podia comprar, a vantagem era “Amiga do Roteirista”.

Voces já viram aqueles desenhos onde o personagem da história tenta fazer de tudo ,mas  o desenhista vai mudando o fundo, repintando o personagem e ele só se ferra. Ou nos quadrinhos da mônica  onde o Mauricio aparecia pra colcoar ondem na casa e ajudar a turminha porque havia um novo roteirita/desenhsita fazendo horrores.

Isso equivale para séries de TV também. Em Star trek, o Capitão Kirk dava uma tesoura voadora meio carpado com salto mortal de costas e conseguia atingir o inimigo e vencer aluta. Só morria camisa vermelha. Em profissão Perigo, MacGyver,o protagonista fazia uma bomba nuclear com chiclete e arame e  acabava a aventura sem um arranhão, salvando o mundo.

Pensando um pouco na séries que etão em cartaz atualmente, percebi que tem uma que com certeza o protagonista deve ter essa vantagem. Não , deve ter mais…, ele deve ser  o “Amante do Roteirista”, ou coisa parecida. A série é The Mentalist, onde o protagonista é um cara que se fingia de vidente e agora ajuda a polícia da California.  Ele hipnotiza, sabe  o culpado antes mesmo da série começar, faz as deduções mais estapafúrdias e sempre acerta. Monta planos mirabolantes que sempre funcionam e pegam o bandido.  Seus colegas de departamento que treinaram anos parecem um bando de amadores perto dele. A série é boa, mas chega a irritar a discrepância do personagem foderosos que sabe tudo em relação a seus colegas.

Assista a The Mentalista, a série é boa, os casos são interessantes, os coadjuvantes são legais e depois me diga se o Pratrick Jane  não possui uma amizade colorida com os Roteiristas.